“O Outro Lado do Paraíso”: Renan “ressuscita” e volta para salvar Duda

Depois de tanto sofrimento, finalmente Duda terá um momento feliz na atual trama das nove, O Outro lado do Paraíso.

Seu ex-amante, Renan, um dos principais responsáveis por tudo de ruim que vem acontecendo em sua vida, irá ressurgir na novela e fazer com que os acontecimentos tomem um novo rumo.

Ele confessará que ainda a ama e tentará reatar a relação logo após aparecer na cidade, onde será levado por Adriana ao julgamento de Duda. Mesmo não perdoando sua mãe, ela decidirá estar ao seu lado e fará com que Renan diga que não foi ela a responsável pelo acidente que o deixou extremamente ferido. Na época, Duda acreditou ter matado Renan, por isso acabou aceitando o tal acordo com seu ex-sogro.

Conforme o colunista Daniel Castro, a advogada afirma que: “No decorrer do julgamento da ré, ela mesmo acabou confessando um suposto crime. A sua morte acidental. Como você explica isso? A ré acredita que você estava morto, mas está aqui, vivo! ” Então, Renan irá aparecer e contar toda a verdade envolvendo o que aconteceu naquela noite.

Renan vai revelar que Natanael o usou para ameaçar a nora: “Ela foi muito importante na minha vida. Mas breve demais. Ela foi até a minha casa naquele dia me visitar e decidiu romper. Não aceitei aquilo, discutimos e eu tentei beijá-la a força. Ela não aceitou. Eu mesmo acabei perdendo o equilíbrio e caí. Quando acordei já estava no hospital, a batida na cabeça foi muito forte”, contará ele durante a audiência.

“Tive uma concussão cerebral e amnésia parcial durante alguns meses. Deixei o hospital e fiquei sabendo da morte dela. Por isso, nunca a procurei. A doutora Adriana me procurou ontem, me contando que Bete poderia ser condenada por… Minha morte. Eu não poderia deixar que isso acontecesse, por isso vim imediatamente”, completou ele.

Adriana afirma que a primeira morte não é capaz de provar que Duda matou Laerte: “A promotoria tentou passar a imagem da acusada como uma assassina contumaz. Está sendo afirmado que ela matou o primeiro amante, mas ele está aqui, vivo. Que a morte do primeiro seria equivalente a uma prova do assassinado do segundo”.

“Desse último, só existe provas circunstanciais. Nem mesmo a tesoura, vista com a arma do crime, possui as impressões digitais da acusada. O que se viu foi somente uma comédia montada pelo senhor promotor para finalmente incriminar uma pessoa inocente. Senhores jurados, conto com o senso de justiça de todos aqui”, pedirá a advogada. Duda será considerada inocente e ganhará a liberdade.

As cenas estão previstas para serem exibidas no dia 26 de janeiro.