Durante jantar de reconciliação, Roberval ofende Zefa, deixa Cacau irritada e faz as duas mulheres tomarem atitude drástica, em Segundo Sol

Finalmente Roberval decidiu se reaproximar de sua mãe Zefa. O vingativo empresário a convidou para um jantar em sua casa em companhia de Cacau.

Porém, infelizmente nem tudo sairá como todos desejavam. Ele vai acabar se desentendendo com a empregada e ela decidirá ir embora, ganhando o apoio da namorada dele; veja detalhes:

“Já tá me fazendo muito feliz, aceitando sua mãe aqui, junto da gente! Essa casa é enorme, a senhora pode até morar aqui com a gente, eu vou ficar muito feliz”, dirá Cacau, sorrindo.

“Muito brigada, filha, eu também tô muito feliz, muito! Mas morar aqui, não… sogra é bom longe! ’, afirmará Zefa.

“Deixa Cacau, eu vou comprar um apartamento pra senhora morar, pertinho da gente, assim vai poder vir sempre… e vou lhe dar uma mesada boa, não quero mais que a senhora trabalhe, tem que descansar! ”, dirá Roberval.

“Eu gosto de trabalhar, meu filho, de ocupar meu tempo com alguma coisa, não quero mesada, sabe que não ligo pra dinheiro…”, explicará a simples mulher.

“Mãe, não é uma questão de ligar pra dinheiro, mas de conforto, viver bem… a senhora não precisa ser empregada de ninguém! Imagina, minha mãe, uma serviçal! ”, disparará ele, demonstrando raiva.

Os desentendimentos

“Olha aqui, não vejo nenhum desmerecimento nisso, Roberval! É um trabalho muito digno, como outro qualquer! ”, rebaterá Zefa, já irritada com as palavras do filho.

“Sabe o que parece? Que lhe fizeram uma lavagem cerebral! ”, insistirá ele. “Roberval…”, dirá Cacau, tentando acalmar os ânimos.

“Você passou a vida toda ganhando uma esmola, e hoje deve estar trabalhando de graça pra família daquele desgraçado! Virou escrava dele de verdade! ”, falará Roberval.

“Roberval, pare, por favor! ”, pedirá Cacau. Será neste momento, que um silêncio constrangedor tomará conta do ambiente.

“Roberval, peça desculpas pra sua mãe! ”, exigirá Cacau. “Eu me excedi, não era minha intenção…”. “Karen, o que teremos de sobremesa? ”, perguntará Cacau. “Suflê de sorvete, sorvete de tapioca… que Zefa gosta”.

 

Zefa ficará ainda mais irritada

“Dona Zefa! E a senhora, minha mãe, não se refira mais a Karen como fez há pouco, aqui dentro ela é só Karen”, corrigirá ele.

Zefa ficará muito nervosa com a situação e se levantará. “Chega! Esse não é o meu filho! Esse monstro que adora pisar e humilhar os outros! Que dá mais valor ao dinheiro que a um semelhante! Peço desculpas, dona Karen, pelo comportamento do meu filho. Eu vou embora daqui, esse não é meu mundo”.

“Dona Zefa…”, reagirá Cacau. “Fique, minha mãe. Vamos comer a sobremesa. Ela foi feita com amor pra senhora”, dirá Roberval.

“Em mim você não manda, Roberval. Sinto muito Cacau”. “Olha o que você fez! ”, reclamará a irmã de Luzia. “Vai defender ela agora? Eu querendo lhe dar conforto, luxo, dignidade, e ela só pensando nos malditos Athayde!”.

“Como você pode ser assim, tão insensível assim, Roberval? O que sua mãe está querendo de você não é luxo, ela só quer seu carinho, afeto! Mas parece que você não sabe o que é isso! Sinceramente, para mim a nossa noite acabou, da pior maneira possível! Estou indo embora também! ”. “Cacau! Espere”, pedirá Roberval.