Renato tenta matar Beth, acusa Samuel de assédio sexual e é demitido do hospital, em O Outro Lado do paraíso

Renato provará que suas maldades não têm limite e para se vingar de Samuel, o médico acusará o diretor de assédio sexual após ser demitido do hospital de Palmas por tentar matar Beth, a mãe de Clara.

Samuel dirá que Renato foi muito irresponsável ao dar alta a Beth e o ameaçará de um grave processo.

O vilão ficará louco de raiva e dirá que só está sendo demitido porque se recusou a ir para cama com o médico.

Obcecado com a vingança contra sua ex-noiva, Renato não será capaz de fazer o seu trabalho direito e cometerá alguns erros, inclusive dar alta à mãe de Clara antes da hora, mesmo sabendo que isso poderá ocasionar a morte da paciente.

“Fui informado que o pós-operatório da paciente estava péssimo. Não pode dar alta diante de casos assim, mesmo que a família implore. Esse tipo de atitude vai totalmente contra a ética médica, vou ter uma conversa muito séria com o Renato”, explicará Samuel.

Renato, então, será chamado a ir até a sala de Samuel para explicar a sua atitude. “Como diretor do hospital, estou muito surpreso por ela ter ido para casa no seu pós-operatório”, argumentará o diretor.

“Eu nunca daria alta nesse caso. O doutor Renato usou de sua autoridade de subdiretor e assinou a alta”, esclarecerá Aguiar.

“Posso saber o porquê você deu a alta? ”, questionará Samuel.

“A Clara implorou, insistiu muito. Nós não costumamos ficar mantendo os pacientes aqui por muito tempo. É praxe do hospital”, explicará Renato.

“A paciente está correndo risco de vida! Ou estou errado? Espero que tenha feito uma avaliação completa na paciente”, cobrará o médico.

“Sinceramente, nem fui olhar”, assumirá Renato. “Eu quero que a Clara se dane. E a mãe dela também”, completará Renato.

“E eu quero que você se dane, doutor Renato. Seu trabalho está de péssima qualidade, falta muito e tira licenças. Eu estava disposto a esperar essa sua fase ruim passar. Mas não. Agora dar alta para um paciente em risco, já é demais. Está demitido! ”, revelará Samuel.

“Eu não aceito a demissão. Sou o subdiretor do hospital. Tá me demitindo porque é gay. Eu sei que sou gostoso. E não cedi às suas cantadas”, acusará o vilão.

“Eu nunca cantaria e nem me interessaria por um verme igual a você. Está se aproveitando do fato que sou gay para me acusar. É o que os homens do seu tipo fazem, quando são acusados. Em vez de enfrentar a situação e assumirem os seus erros, inventam uma história que nunca existiu”, se defenderá Samuel.

“Ah, vai me dizer que não me pegava se eu te desse mole? ” Provocará o vilão.

“Se você tivesse uma boa explicação para a alta de Beth, não iria perder o emprego. O doutor Aguiar aqui presente é testemunha de sua demissão e sabe que isso não é fruto de uma cantada mal dada. Faça o favor. Se retire da minha sala. Saia deste hospital, agora. Rua”, ordenará Samuel.

“Já estava farto de trabalhar aqui”, esbravejará Renato, antes de sair da sala do diretor.

Após ser demitido. Aguiar prometerá ser testemunha se caso Renato abrir um processo contra Samuel. “Muito obrigado pelo apoio, doutor Aguiar”, agradecerá o psiquiatra.

“Renato não terá chances num processo contra o senhor. Eu vi a demissão. E concordo com o motivo”, dirá o médico, durante a cena que está prevista para ir ao ar no dia 20 de abril.