Em perigo, Juvenal humilha e rejeita Desireé, em O Outro Lado do Paraíso

Desirée ficará completamente chocada com o desprezo de Juvenal na reta final de O Outro Lado do Paraíso.

O lapidador passará por momentos assustadores ao ser ameaçado de morte por Renato e, ao ter sua casa usada como cativeiro para sequestrar o filho de Clara. E, para proteger sua amada, Juvenal terá que humilhar Desireé para deixá-la bem longe do perigo.

Para finalmente ficar milionário, Renato sequestrará Tomaz e o levará para a casa do Juvenal, pois acreditará que o local é perfeito para manter o garoto sem chamar a atenção.

Juvenal ficará com uma arma apontada em sua cabeça o tempo todo e será amarrado junto ao filho da vingativa.

Enquanto tenta negociar com Clara, Renato mandará Juvenal não sair de casa e inventar alguma desculpa caso alguém vá lhe procurar em casa.

Desirée começará a ficar preocupada com o sumiço de seu noivo e decidirá ir até a casa dele, sem imaginar que ele está sendo ameaçado de morte.

“Eu estou com o pé torcido, tá difícil ficar andando pela casa. Nem na mina estou indo. Deixei tudo fechado”, inventará ele. “Ah, torceu. Tinha que ter me avisado. Eu vinha aqui cuidar de você”, responderá ela.

“Não precisa”, retrucará ele. “Oxe, lógico que precisa. A gente tá enrolando com esse casamento, mas vamos nos casar, sou tua noiva. Podia ter vindo aqui te ajudar. Até banho te dava, Juvenal”, insistirá Desirée.

Com medo de que algo aconteça a ela, Juvenal decidirá humilhar a noiva para evitar que ela volte ao local que está acontecendo o sequestro. “Não quero mais saber de você. Eu não te amo mais. Aliás, acho que nunca te amei. Era só um passatempo”.

“Passatempo, não, Juvenal. Que eu gostava muito de você, e você, de mim. Ah, deve estar de brincadeira, só pode. Aqui eu estou de Cândida. Lá no quarto sou Desirée e te faço maravilhas. Bora pro quarto que vou te fazer feliz”, ofertará ela.

“Vai embora. Minha casa não é lugar de quenga. Quenga. Você é só uma quenga que deu mole pra mim. Aproveitei. Agora anda querendo casar. Enrolei. Mas nem quero mais. Nem tenho vontade”, dirá Juvenal.

“A gente tem sentimentos, Juvenal”, insistirá a jovem. “Se você acreditou no meu sentimento é porque é burra. Eu nunca senti nada por você. Agora vai embora. Tenho esmeralda para lapidar. Vai embora”, dispensará ele.

“Juvenal, tá me tocando daqui como se eu não vale nada. Como se eu fosse uma cachorra”, lamentará ela, chorando muito.

“É como uma cachorra mesmo. Daquelas vira-lata. Vai, vai. Fora! Passa, passa! Vai tentar enrolar outro, quenga! Estou livre de você”, finalizará o lapidador, deixando Desirée se sentindo muito humilhada.

A cena descrita vai ao ar no dia 4 de maio e poderá sofrer algumas alterações.