Clara é acusada de ser a Mãos de Tesoura, corre risco de voltar para o hospício, mas alguém inesperado a salva, em O Outro Lado do Paraíso

Clara será gravemente acusada de cometer todos os crimes de Sophia nos capítulos finais de O Outro Lado do Paraíso.

Já no tribunal, o advogado da vilã usará uma linha de defesa que fará com que a versão de Clara pareça um compro para incriminar injustamente Sophia.

Patrick ficará completamente desesperado com o julgamento, pois notará que Clara está sendo acusada com a verdadeira Mão de Tesoura.

Depois de se recuperar do AVC, a vilã será encaminhada ao tribunal e conseguirá se dar bem na maior parte da sessão. Clara dará seu testemunho envolvendo tudo que passou na mão da ex-sogra e acabará oferecendo ainda mais munição para o advogado da vilã acusá-la de armação para colocar sua vingança em prática.

No momento em que o assunto envolver o assassinato de Laerte, Clara contará que fugiu quando encontrou o segurança morto no quarto de Beth, depois que sua mãe pediu para que ela sumisse rapidamente do local. “No impulso, aceitei. Depois fiquei muito arrependida, porque minha mãe foi acusada de assassinato”, contará ela.

“Clara Tavares, tenho uma pergunta para te fazer. Quando você chegou ao quarto onde morava sua mãe, Elizabeth, você realmente viu Laerte com a tesoura encravada no corpo? ”, questionará o advogado de Sophia.

“Sim. Foi o que eu acabei de falar”, responderá a vingativa. “Mas você viu dona Sophia no local? ”, insistirá ele. “Não. Não vi. Ela não estava lá. Mas deveria estar, há instantes, porque Laerte ainda estava com vida”, deduzirá Clara, assumindo que ficou sozinha com Laerte.

“A senhora afirma que tem muitos motivos para odiar minha cliente. Foi internada por ela num hospício. Acusa dona Sophia de ter comprado sua internação. Mas também pode ter comprado o laudo dos psiquiatras que a julgam sã. A senhora, Clara Tavares, manuseou esse julgamento para se vingar de sua ex-sogra, dona Sophia”, acusará o defensor.

“Pelo que vi, você não está sozinha nisso, como provarei ao longo desse processo. Tudo é uma mentira. A senhora é uma farsa. Dona Sophia é inocente. Clara Tavares, você matou o Laerte, assim como fez com as demais vítimas. Eu estou te acusando de assassinato! ”, completará o defensor da megera.

Raquel, que estará avaliando o caso ficará muito assustada com a tentativa de virada do advogado da vilã e pedirá para que ele e Patrick cheguem mais perto. “Eu vou inocentar dona Sophia. E abrirei caminho para o próximo julgamento. O de Clara Tavares. Alguém matou aquelas pessoas. Vou mostrar quem”, afirmará o defensor da verdadeira assassina.

Completamente acuada, Raquel deixará o advogado de Sophia continuar seguindo a linha de defesa que acusa Clara de complô contra a megera. “O advogado conseguiu distorcer tudo! A Sophia vai sair daqui como inocente”, dirá Clara.

“Pior que isso, Clara. Se ele continuar seguindo isso, a Sophia será considerada inocente, e você sairá daqui presa. Não vai ter a menor chance. Amanhã ou depois isso acontecerá, será julgada como assassina! Ou pior, internada novamente no hospício”, emendará Patrick.

Clara ficará desesperada e Patrick tentará lhe acalmar. “Calma, vou defendê-la até o fim. Mas o advogado dela distorceu todos os depoimentos. Quer inocentar ela e levar você a julgamento. Bateu na tecla de que você está louca por vingança, que tem uma mente doentia. Todos aqui sabem que você voltou pra se vingar”, ponderará Patrick.

“E se você for a julgamento, sua vida ficará nas mãos dos jurados”, continuará ele. “Não acho justo eu ser julgada pelos crimes que ela cometeu”, retrucará a vingativa, demonstrando muito ódio.

“A Sophia e o advogado fizeram o processo se voltar todo para você. Tenho quase certeza de que amanhã ela vai sair daqui livre, inocentada”, apostará o galã.

Já no capítulo final, que vai ao ar no dia 11 de maio, o julgamento apresentará uma reviravolta surpreendente, pois Mariano regressará a trama global de maneira triunfal.

O garimpeiro, que foi considerado morto, ressurgirá no tribunal como uma testemunha viva dos crimes cometidos pela assassina, o que abrirá caminho para que Patrick consiga mandá-la para um manicômio judiciário.