“O Outro Lado do Paraíso”: Veja quem poderá ser a próxima vítima da Sophia, depois de chantageá-la

Após a suposta morte de Mariano, a megera Sophia voltará à mina para ter uma conversa com seu Zé Victor e dará uma quantia alta para que o garimpeiro mantenha segredo sobre o seu assassinato.

Logicamente que, Zé Victor não ficará satisfeito com a quantia e passará a exigir mais, se tornando a próxima possível vítima da vilã, já que todos os outros que fizeram a mesma coisa acabaram mortos.

Assim que se encontrar com o garimpeiro, Sophia questionará se ele realmente está cumprindo o combinado. “Fica tranquila patroa, ninguém desconfia de nada. Agora, preciso saber como a gente fica”, dirá ele. “Trouxe uma quantia de dinheiro para você”, mostrará ela.

“Não é pouco não. É um bom dinheiro”, revelará a dona do garimpo. “A senhora sabe que vou ter um filho, dona Sophia. De uma médica. Quero estudar ele. Quero dar uma vida boa, a vida que eu nunca tive. Eu vi tudo que a senhora fez. Eu sei onde o corpo do Mariano está enterrado. Eu ouvi a conversa de vocês. Antes de morrer o Mariano tinha a senhora nas mãos. Sei que tem outros crimes nas costas”, ameaçará Zé Victor.

Sophia ficará assustada com os dizeres do garimpeiro, que continuará ameaçando a vilã. “Só te digo uma coisa, dona Sophia. Sou muito mais forte, não tenta me dar tesourada, que vai se dar mal. Fica sabendo também que, nunca vou dar as costas pra senhora. Nunca”, garantirá ele.

“Zé Victor, não sei porque está me ameaçando assim. Estamos no mesmo barco”, argumentará ela. “Se matou Mariano, que dizia amar… não falou que o amava quando estava em cima do corpo dele?… Se fez isso com ele, vai fazer comigo também, que sou uma titica. Mas não vai me matar não. Vai é me pagar. Vai me dar muito dinheiro. Dona Sophia, a senhora está aqui, nas minhas mãos”, afirmará Zé Victor.

Diante das ameaças, Sophia chamará Zé Victor de atrevido. “Fique sabendo, não estou gostando do jeito que está falando comigo”, reclamará a mãe de Lívia.

“Meu jeito é assim mesmo. Eu sou assim. A senhora gostando ou não”, dirá o garimpeiro. “Ah! Tô percebendo que você abriu as asas, virou um galinho de briga? Mas eu não tenho medo de você. Não tenho’, desdenhará Sophia.

“Não tem? Se eu sair daqui e ir até a delegacia, a senhora estará destruída. Lembro onde a cova está. Vou até lá e mostro. Conto tudo o que vi. Mostro o resto da fogueira”, prometerá ele. “Hello! Você também está envolvido nisso. Será preso como cúmplice”, lembrará Sophia.

Zé Victor não se mostrará intimidado. “Fica tranquila, já peguei cadeia. Se tiver que pagar mais tempo atrás das grades, não tem problema. Mas só por ter ajudado a esconder o corpo, não fico muito tempo preso como a senhora vai ficar. Agora me diz, dona Sophia. A senhora, toda acostumada com muito luxo, vai aguentar ficar na cadeia? ”, perguntará o garimpeiro.

Sem demonstrar estar com medo das ameaças de seu empregado, Sophia olhará fixamente para os olhos dele, mesmo notando que está sendo chantageada.

“Não quero só essa esmola que trouxe pra mim. Eu quero ficar rico. E é a senhora que vai me deixar com muito dinheiro. Meu filho nascerá daqui uns meses, eu quero uma quantia pra comprar uma casa muito boa, aqui em Pedra Santa. Das melhores que tiver”, exigirá ele.

Sophia tentará enrolar o chantagista. “Se eu comprar uma casa e colocar no seu nome, isso vai dar muito na cara. Vão falar. Podem associar o sumiço do Mariano”, lembrará ela.

“A senhora tem razão”, concordará ele. “Mas tem minha promessa. Te dou a casa. Quanto à porcentagem sobre os lucros…. Vou ter que manipular as contas. O Gael não pode notar que estou dando dinheiro a mais pra você”, afirmará ela.

“Isso daí já é problema da senhora. Vai me dizer que teu filho não sabe a mãe que tem? ”, debochará o chantagista.

“Ele não sabe do que aconteceu. Temos um combinado. Vai ficar de bico fechado? ”, perguntará Sophia.

“Faço até demais. A senhora não lembrou do chão do quarto do Mariano. Tá todo manchado de sangue. Eu tranquei a chave. Agora que a gente se entendeu, vou limpar… Dona Sophia, não vai se arrepender”, garantirá o empregado.