“O Outro Lado do Paraíso”: Durante julgamento, Fabiana detona Clara: “Ela é vigarista e fingida”; veja detalhes

Conforme já revelamos aos fãs que acompanham a trama global “O Outro Lado do Paraíso”, Fabiana e Renato se unirão brevemente para acabar com a vida da protagonista Clara.

Fabiana acusará Clara de ter roubado algo que lhe pertencia. Para atormentar ainda mais Clara, Renato e Fabiana usarão a generosidade de Clara contra ela mesma.

O médico irá pedir para seu advogado entrar com uma limitar para bloquear todos os bens de Clara. O casal alegará que ela está usando de maneira incorreta o patrimônio com presentes caros e até entregou muito dinheiro a um incompetente abrir uma empresa para sua mãe.

“Está claro que você está muito bem instalada. Que luxo. Mas saiba que tudo isso aqui é meu e eu vim buscar o que me pertence”, dirá Fabiana. Surpresa com a chegada de sua ex-patroa, Clara fará de tudo para defender o seu patrimônio.

Mas, Fabiana continuará acusando a mocinha de roubo com a ajuda do médico e ex-noivo de Clara. “Você me abandonou no altar, Clara. Me humilhou”, justificará ele.

Diante disso, Fabiana resolverá abrir o jogo sobre sua atual situação financeira: “Estou completamente falida. De uma hora para outra. Fiquei sem um real”, revelará a neta de Beatriz. “Você roubou minhas telas. Mas, vim aqui disposta a fazer um acordo com você, tenho uma proposta”, dirá Fabiana.

“Se caso não quiser, entro com um processo, provo que minha avó estava interditada e que não poderia ter feito a doação. Entro com uma acusação de roubo também. O que você acha? ”, perguntará ela, sendo irônica.

Clara ficará muito irritada com as ameaças e perguntará qual seria o tal acordo. “Eu descobri no mercado internacional por quanto você vendeu. 125 milhões de dólares, não foi? Podemos entrar em um acordo bom para nós duas. Você me devolve 100 milhões”.

Patrick estará ao lado de Clara e declarará: “Ela não aceita! ”, deixando todos assustados. “Eu falo por você, Clara. Ela não vai aceitar acordo nenhum, podem ir embora”, afirmará o advogado.

“Ah, então preferem o processo? Acusação de roubo? ”, questionará Fabiana. “Você pode ir para cadeira, Clara”, completará Renato. Patrick continuará defendendo Clara: “Não vai ter acordo. Agora, Fabiana, faça o favor. Vocês já falaram demais, já ocupou nosso tempo”, expulsará o casal. “Patrick, nunca gostei de você, desde criança”, revelará Fabiana.

“Digo o mesmo, também nunca te suportei. É o cúmulo o que você fez para minha tia, sua avó”, declarará o advogado. “E você, Renato, não passa de um criminoso, da pior espécie”, finalizará Patrick.

O julgamento

Sem conseguir fazer o tal acordo, Fabiana segue a diante com o processo. Dias depois, o julgamento acontece. “Estamos todos aqui para julgar a liminar de dona Fabiana de Sá Junqueira contra Clara Tavares. A denunciante alega que a acusada, por meio de fraudes. Tomou posse de uma fortuna que não lhe pertence”, dirá o juiz.

“Olha aqui senhor juiz, ela é uma vigarista, uma fingida. Começou a trabalhar em minha casa como empregada. Mas com um plano já arquitetado. Roubou três telas de grandes mestres da pintura, deixadas por minha falecida avó. Fugiu com elas. Desapareceu. Só agora consegui encontrá-la. Milionária. Mas todo o dinheiro que ela tem, é meu! ”, afirmará Fabiana.

Clara contará que herdou de Dona Beatriz as pinturas citadas por Fabiana. “As telas eram minhas. São avó me deixou. Eu tenho como provar isso. Tenho todos os documentos, provando que ela me transferiu a posse das obras”, rebaterá Clara, contando com o apoio do sobrinho de sua amiga falecida.