“O Outro Lado do Paraíso: Nádia obriga Diego a se casar com Karina; veja detalhes

A separação de Diego vai abalar a vida da dondoca Nádia. Tudo isso porque ela não vai aceitar ver o filho ser chamado de impotente. No futuro, Nádia tentará reverter a fama do garoto, querendo provar que ele, na verdade, é um garanhão.

Tudo começará quando Nádia flagrar o juiz no bordel e destratar Karina, dizendo que a jovem não passa de uma vagabunda. Ao presenciar Karina chorando, Leandra vai tentar descobrir o motivo do berreiro. “É ela, não é? ”, perguntará a jovem. “Ela quem”, responderá Leandra.

“A mãe do Diego, do geólogo”, falará Karina. Leandra finalmente irá confirmar e questionar a gravidez da prostituta, que ainda continua trabalhando no bordel. “Karina, não dá mais para você trabalhar aqui”, dirá Leandra. “Tô pagando meus gastos com o que economizei”, justificará a garota. “Até quando? Quer um conselho? Deixa a poeira baixar e depois vá atrás dessa mulher… é o neto dela que você está carregando. Não tem outra solução. É com ela que você tem que conversar… Diego nunca vai assumir esse filho. Fale diretamente com a mãe dele. Tem que contar, Karina. É uma criança que vai nascer”, aconselhará Leandra.

Quando Nádia chega em sua casa, Bruno avisa que tem visita. “Aquela moça diz que precisa falar com você”, avisa ele. “Ela não é o tipo de mulher que costumo ter contato. É uma vagabunda daquele bordel. Por que você deixou ela entrar, Bruno? ”, questionará a ricaça. “Tenho meus motivos. É melhor vocês duas conversarem sozinhas. Qualquer coisa me chama”, dirá o delegado, que vai para o quarto.

Nádia ficará olhando fixamente para a garota do bordel. “Eu estou surpresa com sua visita. É uma das meninas que trabalha naquele antro de perdição. Ai, que susto. Você está visivelmente grávida e ainda continua trabalhando lá? Francamente, é um despropósito! Por que está aqui. Se for sobre o meu ex-marido… ex-marido… Já o coloquei na rua”, avisa ela. “Não tenho nada com seu ex-marido. Eu trabalhava lá no bordel. Como você percebeu, eu tô grávida sim”, começa ela.

A dona questionará o que ela tem a ver com a história. “O pai do meu filho é o Diego, teu filho. O geólogo”, revela Karina, deixando Nádia em choque. “Ele começou a ir no bordel, nos apegamos”, conta a garota. “Se trabalhava lá, com tantos homens, como tem certeza que meu filho é o pai da criança? Está querendo dar o golpe da barriga? ”, acusará Nádia. “Eu tenho certeza. O filho é dele”, afirma a jovem.

Pensando rápido, Nádia conseguirá ver que vantagem sobre a situação. “Grávida. Então o que está dizendo sobre ele é mentira. Ele se casou com uma moça, mas nem quis tocar nela… e agora que divorciou, estão dizendo que ele é impotente”, analisará Nádia. “Impotente? É piada isso né? O Diego é um garanhão na cama”, afirma a garota. “É o que eu sempre disse. Um garanhão. Mas agora todo mundo está falando que ele é impotente… a víbora da mãe da ex-mulher fez questão de falar pra todo mundo que ele é impotente… e eu como mãe tô com a cara no chão. Mas… se você está grávida, isso prova que ele é garanhão, não é? ”, questionará Nádia.

Karina aproveita o momento é diz que tá precisando de ajuda. “Vim pedir abrigo. Não tenho onde morar e nem como viver. Com um filho na barriga, nem emprego consigo”, desabafará ela. “Claro que não, querida”, concordará Nádia no momento em que Diego chega em casa e fica surpreso ao ver a jovem lá. “Mãe… Karina? ”, diz ele. “Exatamente. Ela veio conversar comigo”, explica Nádia. “Estou grávida, Diego. De você”, avisa Karina. “Mas isso… é uma bobagem. Como você pode ter certeza de que esse filho é meu? ”, questionará o jovem.

A garota afirma que tem certeza da paternidade e é desprezada por ele. “Seja o que for, eu não tenho nada pra te dar. Você é uma vagabunda”, gritará Diego. Só que a mãe do geólogo não vê as coisas por esse ângulo. “Pelo contrário, Diego. Ela está esperando um filho seu. Isso é uma resposta para toda a sociedade. Você vai se casar com ela”, exigirá Nádia, deixando Diego desconcertado.