“O Outro Lado do Paraíso”: Antes “amigos”, Vinícius se espanta com atitude de Gustavo e fica revoltado

As coisas para o delegado Vinícius estão só piorando, pois, as próximas cenas irão mostrá-lo mais desesperado do que nunca. Diante das acusações feitas por sua enteada, Vinícius irá buscar ajuda com seu “amigo” Gustavo, o juiz de Palmas. Antes, ele já tinha recorrido à Clara e a Laura, porém não obteve sucesso.

“Vinícius, que bom te ver por aqui. Nossas famílias se encontravam tanto, quando as crianças ainda eram pequenas. Agora que estão adultas, nem um churrasco fazemos”, falará o juiz ao receber Vinícius em seu gabinete. “Pare com esse teatrinho, Gustavo”, diz o delegado.

“Que teatrinho? Eu só estou mostrando o valor que dou à nossa amizade”, dirá o magistrado. “Pois então demonstre esse valor da melhor maneira possível. Sei que seu filho, aquele moleque, mandou a denúncia de Laura para cá, a denúncia feita contra mim”, falará o delegado.

“Já estou sabendo. Não chame meu filho de moleque. Está iniciando uma brilhante carreira de delegado”, pedirá o juiz. “O Bruno poderia ter rasgado a denúncia. Mandando Laura direto para um hospício, que é o lugar dela. Mas não fez isso. Ele acolheu. Tentei falar com ele, quase me humilhei para ele engavetar e deixar o tempo passar, até que ela finalmente desista disso. Mas não, ele mesmo disse que enviou os papeis pra cá”, contará o Vinícius.

“Enviou sim, não vou negar. Está tudo em minhas mãos”, contará o marido de Nádia. “Que alivio. Você sim, é meu amigo de verdade. Vai segurar a denúncia, deixa o tempo passar. Eu sei que um juiz demora meses, se quiser, com um processo desse tipo”, dirá o delegado, expressando estar feliz com a situação.

“Vinicius, a amizade presente em nossas famílias é conhecida. Eu não posso me comprometer com isso”, explicará o juiz. “O que? ”, questionará o padrasto. “Pode ser muito prejudicial à minha carreira, se eu me envolver nisso. Você sabe como é a língua do povo”, ressaltará o juiz.

“Você tem medo do que vão falar? Você já é um juiz vendido, que aceita caixinha, corrupto. Fala que é meu amigo? É um grande covarde, que agora, que podia me ajudar, mas está simplesmente se escondendo atrás da escrivaninha”, rebaterá o delegado, demonstrando estar surpreso com o comportamento do juiz.

“Não me diga mais nada ou vou te processar também por desacato à autoridade”, avisará o juiz. “Diz, covarde, o que você fez com o processo contra mim? ”, indagará Vinicius. “Eu mandei para o promotor, como exige a lei”, dirá Gustavo. “Você é um canalha! ”, finalizará o padrasto, dando um murro na mesa do juiz.