“O Outro Lado do Paraíso”: Clara dá início a sua nova vingança contra o juiz, os detalhes são surpreendentes

Depois de finalizar o seu plano contra o delegado Vinicius, Clara começará a pôr em prática sua vingança contra o ambicioso e corrupto Juiz. Gustavo irá desconfiar quando Clara aceitar ser madrinha do casamento de seu filho e até comentará com sua esposa que teme ser o próximo alvo da mocinha.

Clara decidirá iniciar tudo depois de uma longa e esclarecedora conversa com Mercedes, porém o juiz ficará altamente desconfiado da bondade da jovem milionária.

“Não gostei da visita de clara, ainda mais logo depois que aconteceu o julgamento do delegado. E se houver algum sentido naquilo que Vinicius revelou? Que ela vai fazer de tudo para se vingar de mim? ”, desabafará ele ao se lembrar do que o delegado disse um pouco antes de ser morto na prisão.

“Se vingar como, se você é um grande exemplo de honestidade? ”, perguntará sua esposa. “Bebê, você esqueceu que temos presentinhos? ”, questionará o juiz. “Mas não existe provas. Tem mais alguma coisa que eu não sei e Clara pode descobrir? ”, perguntará ela. “Claro que não. Eu só fico preocupado com que ela pode fazer para me prejudicar. Mas não, não existe nada”, desconversará ele.

Clara começará a se sentir culpada pela morte do delegado e ficará em dúvidas se deve ou não continuar com seus planos. “Será que a minha vingança não está indo longe demais? Deveria parar com tudo? ”, perguntará ela a Patrick. “Ouvi a conversa. Você não deve parar agora. Falta só mais um, que é o Juiz”, interromperá Renato. “Sei lá, acho melhor eu ir conversar com a dona Mercedes”, decidirá ela.

Mercedes, então, dará conselhos a mocinha, que entenderá aquilo como um aval para que ela finalize sua promessa. “Quando você contou sobre seu plano de vingança, não gostei. Não gostei mesmo, vingança é uma palavra muito ruim e pesada”, explicará a vidente. “Eu descobri que a errada nisso tudo era eu”, emendará ela.

“A gente divide a vida entre as coisas certas e as erradas, Clara. Aprendi assim. Agora, vejo que não é assim. A vida é como duas manchas de tintas de cores diferentes que se misturam. Às vezes o que é errado acaba se tornando certo e o que é certo se torna errado”, divagará ela.

“Aquele homem morreu, dona Mercedes”, insistirá ela. “Morreu sim, mas tudo aconteceu por culpa dele mesmo. Ele pagou pelos próprios erros. Não sou Deus para julgar alguém que merece morrer, mas ele fez um crime bárbaro e poderia cometer outros. Um crime contra uma criança não tem perdão. Você não é culpada pela morte dele. Nesse caminho que você escolheu, tão difícil de entender, há escuridão e há luz. Muita luz”, finalizará a vidente.

Quando chegar em sua casa, Clara contará para Patrick sobre a conversa com Dona Mercedes e revela que ela a encorajou a continuar. “Você acredita que é uma boa ideia ser madrinha desse casamento? ”, questionará o advogado. “É filho do juiz. Preciso conhecer toda a família, pois assim conseguirei executar minha vingança. Ele é o terceiro da lista”, determinará Clara.

“Mesmo depois de ter essa conversa com dona Mercedes, você tem certeza? ”, perguntará Patrick. “Minha certeza está ainda mais forte. A minha vingança não é boa nem ruim, nem certa nem errada. O universo acaba respondendo a cada um de nossos comportamentos. Tudo que vai, costuma voltar”, discursará Clara a Patrick.

A esposa do juiz, que convidará Clara para ser a madrinha do casamento de seu filho Diego, acabará comentando com Clara sobre a revelação de sua vingança dita por Vinícius no tribunal. “Aquele homem estava completamente fora de si. De onde será que ele tirou essa ideia de que você planejou uma vingança tão fantasiosa contra ele? ”, questionará Nádia.

“Pois é. De onde será né? ”, responderá a vingativa. “Além do mais, contou que você iria se vingar do meu marido também. Nossa vida é totalmente transparente. Só teme uma vingança quem tem problemas e fatos ocultos sobre sua vida, eu e meu esposo somos pessoas de bem”, mentirá a mulher do juiz corrupto.